INTELECTUALIDADE, CULTURA E DIVERSIDADE NA OBRA DE SUELI CARNEIRO

James Deam Amaral Freitas

Abstract


Vários autores e autoras, em contraposição aos paradigmas positivistas de ciência, têm afirmado a necessidade de um estudo investigativo situado, transgressivo, ajustado às noções de política, ética e poder. Essas concepções comungam a prerrogativa de se problematizar a dinâmica da produção do conhecimento. Sob esse ponto de vista, essa apresentação focaliza a produção acadêmica de Sueli Carneiro, filósofa, feminista, fundadora do Instituto da Mulher Negra, Geledés, teórica-ativista, que tem defendido a relevância do espaço acadêmico para atualizar o debate sobre raça e gênero, uma vez que não se pode falar em produção intelectual sem comprometimento. Assim ,a autora discute sobre formas de conhecimento que não são/não podem ser legitimadas, denominadas Epistemicídio, a partir de uma concepção que nega o caráter supostamente essencialista, natural e homogêneo do ser humano e da intelectualidade.



DOI: https://doi.org/10.14571/cets.v2.n1.179-180



Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ