PERMANENT TRAINING AND EDUCATIONAL MANAGEMENT: COMPONENTS INVOLVING A THEORETICAL MODEL OF TEACHING DEVELOPMENT

Danielle Abdel Massih Pio, Silvia Cristina Mangini Bocchi, Mara Quaglio Chirelli, Camila Mugnai Vieira, Silvia Franco da Rocha Tonhom

Abstract


The complexity of the current reality, the changes in the area of health and public policies demand professionals in the medical field with integral conceptions of the human being, with a generalist education, more humanized and ethical. This has led medical schools to transform their pedagogical practices in search of active teaching and learning methodologies. Teacher training is essential in the process of curricular change. This research was developed with the purpose of understanding the experience of teachers of the medical course with their practice and with the formative space, and to communicate it through a theoretical model representative of this experienced process. It was a qualitative research conducted at a State Medical School in the countryside of São Paulo’s state, where medical professors from the first two and the last two years of the undergraduate course were interviewed. The methodological framework of the Theory Based on Data was followed and the theoretical saturation was given in the 19th interview. The theoretical model discovered indicates that the whole movement of the teacher must be valued by the spaces of educational development and educational management. Each professor can experience, in the same context, experiences that link or distance him from the proposed pedagogical model. The (re)construction of meanings for work comes from social interaction, experience of the method and development of co-management.

References


AGUILAR-DA-SILVA, R. H. Professor: ser ou estar? São Paulo: Phorte, 2014.

ALMEIDA, E. G.; BATISTA, N. A. Desempenho docente no contexto PBL: essência para aprendizagem e formação médica. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 37, n. 2, p. 192-201, 2013. Acesso em: 04 jan. 2019.

ALMEIDA, M. T. C.; BATISTA, N. A. Ser docente em métodos ativos de ensino-aprendizagem na formação do médico. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 35, n. 4, p. 468-476, 2011. Acesso em: 04 jan. 2019.

ALMEIDA, M. T. C.; MAIA, F. A.; BATISTA, N. A. Gestão nas escolas médicas e sustentabilidade dos programas de desenvolvimento docente. Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 18, n. 2, p. 299-310, 2013. Acesso em: 05 jan. 2019.

BATISTA, N. A.; VILELA, R. Q. B.; BATISTA, S. H. S. S. Educação médica no Brasil. São Paulo: Cortez, 2015.

BELFOR, J. A. et al. Competências pedagógicas docentes sob a percepção de alunos de medicina de universidade da Amazônia brasileira. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, p. 73-82, 2018. Acesso em: 05 jan. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação, Câmera de Educação Superior. Resolução CNE/CES Nº 3, de 20 de junho de 2014. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Medicina e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 jun. 2014. Seção 1: 8-11. Acesso em: 04 jan. 2019.

______. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, dez. 1996. Acesso em: 04 jan. 2019.

CAMPOS, G. W. S.; CUNHA, G. T.; FIGUEIREDO, M. D. Práxis e formação Paideia: apoio e cogestão em saúde. São Paulo: Hucitec, 2013.

CHARON, J. M. Symbolic interactionism: an introduction, an interpretation, an integration. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 2004.

CHIRELLI, M. Q.; SOARES, M. O.; PIO, D. A. M. Competência dialógica: avaliação dos desempenhos na percepção dos facilitadores. Atas CIAQ 2016, Investigação Qualitativa em Educação, v. 1, p. 1309-1319, 2016.

CUNHA, C. M. S. L. M.; MACEDO, A. P. M. C.; VIEIRA, I. F. G. F. F. Percepções dos estudantes de enfermagem sobre os processos formativos em contexto de ensino clínico. Revista de Enfermagem Referência, Coimbra, Série IV, n. 12, 2017, p. 65-74, 2017. Acesso em: 06 jan. 2019.

FACULDADE DE MEDICINA DE ___. Caderno do Programa de Desenvolvimento Docente: cursos de medicina e enfermagem. Faculdade de Medicina de ___, (SP): ___, 2008a, p. 24. Acesso em: 04 jan. 2019.

______. Necessidades de saúde 2 e prática profissional 2: 2ª série dos Cursos de Medicina e Enfermagem. ____: Faculdade de Medicina de ___ (SP), 2015. (p. 27).

______. Projeto pedagógico do curso de enfermagem. ___, 2008.

______. Projeto pedagógico do curso de medicina. ___, 2014. Acesso em: 04 jan. 2019.

______. Necessidades de Saúde 1: 1ª série dos Cursos de Medicina e Enfermagem. _____: Faculdade de Medicina de ___ (SP), 2018.

FERREIRA, R. C.; FIORINI, V. M. L.; CRIVELARO, E. Formação profissional no SUS: o papel da atenção básica na perspectiva docente. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 34, n. 2, p. 207-215, abr./jun. 2010. Acesso em: 04 jan. 2019.

FERREIRA, R. C.; TSUJI, H.; TONHOM, S. F. R. Aprendizagem baseada em problemas no internato: há continuidade do processo de ensino e aprendizagem ativo? Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 39, n. 2, p. 276-285, 2015. Acesso em: 06 jan. 2019.

FRANCISCO, A. M. et al. Percepção de estudantes e docentes sobre uma Unidade Educacional em curso de medicina com metodologia ativa. In: Atas do 4º Congresso Ibero-Americano em Investigação Qualitativa, 2015, Aracaju. Aracaju: Universidade Tiradentes, 2015. (p. 214-219)

FRANCISCO, A. M.; TONHOM, S. F. R. O currículo na formação do profissional em saúde. In: MORAES, M. A. A. et al. (Orgs.). Avaliação nos cursos de medicina e enfermagem: perspectivas e desafios. Curitiba: CRV, 2012. (p. 29-75)

FREIRE, P. À sombra desta mangueira. 10. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

GROSSOEHME, D. H. Research Methodology Overview of Qualitative Research. J Health Care Chaplaincy, v. 20, n. 3, p. 109-122, 2014.

JACOBS, J. C. G. et al. Teacher´s conceptions of learning and teaching in student-centred medical curricula: the impact of context and personal characteristics. BMC Medical Education, London, v. 16, n. 1, p. 244, 2016.

JARAUTA-BORRASCA, B.; MEDINA-MOYA, J. L. La formación pedagógica inicial del professorado universitario: repercusión em las concepciones y prácticas docentes. Magis, Revista Internacional de Investigatión en Educación, Bogotá, v. 1, n. 2, p. 357-370, 2009. Acesso em: 19 jan. 2019.

LASCH, K. E.; et al. M., et al. PRO development: rigorous qualitative research as the crucial foundation. Qual Life Res, v. 19, n. 8, p. 1087-1096, 2010.

LAZARINI, C. A.; FRANCISCHETTI, I. Educação Permanente: uma ferramenta para o desenvolvimento docente na graduação. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 34, n. 4, p. 481-486, 2010. Acesso em: 06 jan. 2019.

NASSIF, J. V.; CHIRELLI, M. Q. Processo de formação de professores para atuar em metodologias ativas. Atas CIAIQ2018, p. 223-232, 2018. Acesso em: 06 jan. 2019.

NUNES, C. R. R.; ROLIN, L. M. G.; LOPES, V. M. M. Os primórdios da Educação Permanente na academia e nos serviços de saúde. In: FRANCISCHETTI, I. et al. (Orgs.). Educação Permanente na Academia: da teoria à prática. Curitiba: CRV, 2014. (p. 17-29).

PIO, D. A. M. A experiência do professor médico com métodos ativos de ensino-aprendizagem: formação permanente e gestão como mediadoras. 2017, 221f. Tese. (Doutorado em Saúde Coletiva) – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho, Botucatu, SP, 2017. Acesso em: 04 jan. 2019.

PIO, D. A. M. et al. A experiência formativa de professores médicos em um currículo com metodologias ativas: representação por modelo teórico. Atas CIAIQ2018, p. 255-265, 2018.

RÊGO, C.; BATISTA, S. H. Desenvolvimento docente nos cursos de medicina: um campo fecundo. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 36, n. 3, p. 317-324, 2012. Acesso em: 05 jan. 2019.

RIOS, I. C.; SCHRAIBER, L. B. Humanização e humanidades em medicina: a formação médica na cultura contemporânea. São Paulo: UNESP, 2012.

SILVA, F. A. da et al. Processo autoavaliativo do desenvolvimento docente em escolas médicas brasileiras: espelhos e reflexos nas percepções dos atores institucionais. Revista Ciência e Estudos Acadêmicos de Medicina, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT), Cáceres, n. 6, p. 59-78, 2016. Acesso em: 05 jan. 2019.

STEINERT, Y. et al. A systematic review of faculty development initiatives designed to enhance teaching effectiveness: A 10-year update: BEME Guide nº 40. Medical Teacher, v. 38, n. 8, p. 769-786, 2016. Acesso em: 04 jan. 2019.

STRAUSS, A.; CORBIN, J. Pesquisa qualitativa: técnicas e procedimentos para o desenvolvimento da teoria fundamentada. Porto Alegre: Artmed, 2008.

TEÓFILO, T. J. S.; SANTOS, N. L. P.; BADUY, R. S. Apostas de mudança na educação médica: trajetórias de uma escola de medicina. Interface: Comunicação, Saúde e Educação, Botucatu, v. 21, n. 60, p. 177-188, 2017. Acesso em: 04 jan. 2019.

VASCONCELOS, R. N. C.; RUIZ, E. M. Formação de médicos para o SUS: a integração ensino e saúde da família. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 39, n. 4, p. 630-638, dez. 2015. Acesso em: 04 jan. 2019.




DOI: https://doi.org/10.14571/brajets.v12.n3.258-269



Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ