Technology, generation and occupational status: a study on the appropriation of information and communication technologies at Federal University of Viçosa

Neide Maria de Almeida Pinto, Joyce Keli do Nascimento Silva, Ana Louise Fiuza

Abstract


The article discusses the so-called “digital divideâ€, related to inequality in ownership, use and benefits extracted from technological resources due to the social stratification that imposes economic, political, social and cultural cleavages. Based on studies of the sociology of technique and Bourdieusian concepts of socialization, technological capital and informational habitus, the objective is to analyze the ownership and use of Information and Communication Technologies (ICTs) from the perspective of generation and occupation. Conducting a cross-sectional study, with the application of questionnaires to a sample of 324 students, teachers and technical-administrative servants (active and retired) at the Federal University of Viçosa (UFV) revealed that generation and occupational status have an effect on tenure, forms/frequencies of use and in the self-perception of technological capabilities, also being associated with factors such as gender, education and income. The results showed that a large number of students, active and retired teachers and active technical-administrative servants carry out multiple online activities, declare long use of ICTs and a more favorable perception of digital skills. Meanwhile, retired technical-administrative servants registered the lowest percentages in online practices, the lowest frequencies of use and a less favorable perception of their skills. Other statistically significant differences were also observed.

References


AGUIAR, M. E.; CABRAL, A. R. Internet das coisas e o profissional em secretariado executivo. Tecnologia em Projeção, v.8, n 1, 2017, p. 112-127.

ALVES, D. A. Tempo e trabalho. Gestão, produção e experiência do tempo no teletrabalho. Porto Alegre: Escritos, 2014. 245 p.

AUGUSTO, N. M. A juventude e a(s) política(s): Desinstitucionalização e individualização. Revista Crítica de Ciências Sociais [Online], 81, 2008. Disponível em: http://journals.openedition.org/rccs/658.

BERNUCI, N.; OLINTO, G. Gender differences in ICT access and use among Brazilian youngsters. In: KURBANOĞLU, S. et al. (ed.). Information literacy in everyday life. Cham, Suíça: Springer International Publishing, 2019, p. 379-389.

BLANK, G.; GROSELJ, D. Dimensions of Internet use: amount, variety, and types. Information, Communication & Society, 17:4, 2014, p. 417-435. Disponível em: : https://www.researchgate.net/publication/262898603.

BORDIGNON, C.; BONAMIGO, I. S. Os jovens e as redes sociais virtuais. Pesqui. prát. psicossociais, São João Del Rei, v.12, n. 2, p. 310-326, ago. 2017.

BOURDIEU, P. The forms of capital. In.: RICHARDSON, J., Handbook of Theory and Research for the Sociology of Education, Westport, CT: Greenwood, 1986, p. 241-58.

BOURDIEU, P. Esboço da teoria da prática. In: BOURDIEU, P. Sociologia. (Coleção Grandes Cientistas Sociais) (org.) ORTIZ, Renato. 2ª ed. São Paulo: Ãtica, 1994, p. 46-81.

CARDIM, M. E. Tecnologia impacta carreiras no governo e algumas poderão até desaparecer. Correio Brasiliense – Brasil. Publicado em 24/12/2019. Disponível em: https://www.correiobraziliense.com.br Acesso em: 20 jan. 2020.

CASTELLS, M. A sociedade em rede. A era da informação: economia, sociedade e cultura. V.1. 6 ed. São Paulo: Paz e Terra, 2002. 698 p.

CLAYTON, J.; MACDONALD, S. J. The limits of technology. Social class, occupation and digital inclusion in the city of Sunderland, England. Information, Communication & Society, 16:6, 2013, p. 945-966.

COSTA, D. Com mais celulares e TVs conectados, acesso à internet já chega a 70% dos lares brasileiros. O Globo – Economia. Publicado em 26 de abril de 2018. Disponível em: https://oglobo.globo.com/economia/com-mais-celulares-tvs-conectados-acesso-internet-ja-chega-70-dos-lares-brasileiros-22625394. Acesso em: 15 out. 2019.

DINIZ, C. N.; OLINTO, G. O uso da tecnologia da informação entre universitários. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 7, 2006, Anais... Marília: UNESP, 2006.

DUBAR, C. A socialização: construção das identidades sociais e profissionais. São Paulo: Martins Fontes, 2005. 343 p.

DUBAR, C. A construção de si pela atividade de trabalho: a socialização profissional. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 42, n.146, p. 351-367, maio/ago, 2012.

DWIVEDI, Y. K.; LAL, B. Socio-economic determinants of broadband adoption. Industrial Management & Data Systems, v. 107, n. 5, 2007, p. 654-671.

FERNÃNDEZ-ARDÈVOL, M. Práticas digitais móveis das pessoas idosas no Brasil: dados e reflexões. Panorama setorial da Internet, n. 1, Março, Ano 11, 2019, p. 1-17.

FERREIRA, C. B. O processo de intensificação e precarização do trabalho na Universidade Federal de Uberlândia: o caso dos técnicos administrativos. Dissertação (Mestrado em Ciências Sociais) - Universidade Federal de Londrina, Londrina, 2012.

FIELD, A. Descobrindo a estatística usando o SPSS. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009. 684 p.

FILHO, A. R. C. T.; et al. Capacitação no setor público: analisando o processo de uma IFES. RACE, Joaçaba, v. 16, n. 3, 2017, p. 185-208, edição especial. https://doi.org/10.18593/race.v0i0.15216.

FIÚZA, A.; PINTO, N.; COSTA, E. Desigualdades de gênero na universidade pública: a prática dos docentes das ciências agrárias em estudo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 42, n. 3, p. 803-818. set. 2016.

FRIEMEL, T. N. The digital divide has grown old: Determinants of a digital divide among seniors. New Media & Society,v. 18, n. 2, 2016, p. 313-331.

GIDDENS, A. As consequências da Modernidade. Editora da UNESP, São Paulo, 1991. 177 p.

GOMES, W. Participação política online: Questões e hipóteses de trabalho. In: MAIA, R. C. M.; GOMES, W.; MARQUES, F. P. J. A. (orgs.). Internet e Participação Política no Brasil, Porto Alegre: Sulina, 2011.

GÓMEZ, D. C. Technological capital and digital divide among young people: an intersectional approach. Journal of Youth Studies, 22:7, 2019, p. 941-958. https://doi.org/10.1080/13676261.2018.1559283.

GRISCI, C. L. I.; CARDOSO, J. Experimentação do tempo e estilo de vida em contexto de trabalho imaterial. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 12, n, 4, p. 851-865, Out./Dez. 2014, p. 851–865.

HELSPER, E. Gendered internet use across generations and life stages. Communication research, 37 (3), 2010, p. 352-374.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÃTICA. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD Contínua 2017. Tecnologia da Comunicação e Informação (TIC), 2018.

JACOBS, J. A. The faculty time divide. Sociological Forum, 19 (1), 2004, p. 3-27.

KALLAJIAN, G. C. Implicações da tecnologia digital no trabalho docente de ensino superior. Dissertação (Mestrado em Educação) - Universidade de Uberaba, Uberaba, 2012.

KRUG, R. R.; XAVIER, A. J., D’ORSI, E. Fatores associados à manutenção do uso da internet, estudo longitudinal EpiFloripa Idoso. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 52, 37, 2018.

LEITE, M. P.; GUIMARÃES, P. C. Tudo muda, nada muda: as implicações do uso das tecnologias de informação sobre o trabalho das mulheres no setor eletroeletrônico. Cadernos Pagu, Campinas, n. 44, p. 333-366, jun. 2015.

MALILLOS, L. M. Nativos Digitales: Una Aproximación a La Socialización Tecnológica de Los Jóvenes. Madrid: Instituto de la Juventud, 2010.

MAUÉS, O. A reconfiguração do trabalho docente na educação superior. Educar em Revista, Curitiba, n. esp. 1, 2010, p. 141-160. https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/20468/13748.

MENZIES, H.; NEWSON, J. No Time to Think: Academics' life in the globally wired university. Time & Society, 16(1), 2007, p. 83–98.

MOROMIZATO, M. S., et al. O Uso de Internet e Redes Sociais e a Relação com Indícios de Ansiedade e Depressão em Estudantes de Medicina. Revista Brasileira de Educação Médica, Rio de Janeiro, v. 41, n. 4, p. 497-504, 2017.

MWIN, E. N.; KRITZINGER, E. Views of Digital Divide: A Literature Review. In.: 2nd AFRICAN CONFERENCE ON INFORMATION SYSTEMS & TECHNOLOGY (ACIST) 2016, Anais..., 5th & 6th July 2016.

NETO, O. R. M.; ANTUNES, M. T. P.; VIEIRA, A. M. Controle do trabalho docente: provocações foucaultianas para análise da gestão universitária. Avaliação (Campinas), Sorocaba, v. 20, n. 3, p. 665-683, Nov. 2015.

NETO, V. B. S.; MILL, D. Intensificação do trabalho docente e tecnologias digitais em pesquisas sobre educação no Brasil. EmRede, 2018, v.5, n.1, 2018, p. 123-136.

NICOLACI-DA-COSTA, A. M. Ciberespaço: nova realidade, novos perigos, novas formas de defesa. Psicologia: ciência e profissão, Brasília, v. 23, n. 2, p. 66-75, 2003.

OLIVEIRA, V. C. S. Modelos de Administração Pública. In: Administração pública contemporânea: política, democracia e gestão. (orgs). Marcos Tanure Sanabio, Gilmar José dos Santos, Marcus Vinicius David. – Juiz de Fora : Ed. UFJF, 2013. 246 p.

PAZ, S. L.; OLIVEIRA, J. F. O trabalho docente no magistério superior em tempos de crise e de reconfiguração. EccoS – Rev. Cient., São Paulo, n. 46, maio-agosto 2018, p. 109-130.

RAMOS, V. A. Tecnologia e formação: o smartphone na experiência de jovens universitários. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, 2018.

REIS, J. B.; JESUS, R. E. Caderno 4. Culturas juvenis e tecnologias. In: CORREA, M. Z.; ALVES, C. L. M. (orgs.) Coleção Cadernos temáticos: juventude brasileira e Ensino Médio. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014.

RIBEIRO, C. V. S. R. O trabalho do técnico-administrativo em instituições federais de ensino superior: análise do cotidiano e implicações na saúde. Revista de Políticas Públicas, Número Especial, outubro, 2012, p. 423-431.

ROBINSON, L. A Taste for the Necessary. A Bourdieusian approach to digital inequality. Information, Communication & Society, 12 (4), 2009, p. 488-507.

ROCHA, R. G. O., et al. Inclusão Digital de Pessoas Idosas: Um Estudo de Caso utilizando Computadores Desktop e Tablets. Novas Tecnologias na Educação, CINTED-UFRGS, V. 14 Nº 1, julho, 2016.

SALAJAN, F. D.; SCHÖNWETTER, D. J.; CLEGHORN, B. M. Student and faculty inter-generational digital divide: Fact or fiction? Computers & Education, v. 55, issue 3, November 2005, p. 1393-1403.

SELWYN, N. Reconsidering Political and Popular Understandings of the Digital Divide. New Media & Society, 6 (3), 2004, p. 341–362. http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.889.4484&rep=rep1&type=pdf

SERRANO-CINCA, C.; MUÑOZ-SORO, J. F.; BRUSCA, I. A Multivariate Study of Internet Use and the Digital Divide. Social Science Quarterly, vol. 99, issue, 4, p. 1409-1425. Dec. 2018. https://doi.org/10.1111/ssqu.12504.

SILVEIRA, B. O.; PARRIÃO, G. B. L.; FRAGELLI, R. R. Melhor idade conectada: um panorama da interação entre idosos e tecnologias móveis. Revista Tecnologias em Projeção, v 8, n. 2, p. 42-53, ano 2017.

SIMÕES, M. J. Política e Tecnologia. Tecnologias da Informação e da comunicação e participação política em Portugal, Oeiras, Celta, 2005.

SOUZA, J. J.; SALES, M. B. Tecnologias da Informação e Comunicação, smartphones e usuários idosos: uma revisão integrativa à luz das Teorias Sociológicas do Envelhecimento. Revista Kairós Gerontologia, v.19, n. 4, p. 131-154, 2016.

SULLIVAN, C.; SMITHSON, J. Perspectives of homeworkers and their partners on working flexibility and gender equity. International Journal of Human Resource Management, vol. 18, issue 3, 2007, p. 448-461.

VAN DIJK, J. A. G. M. The digital divide in Europe. In.: The Handbook of Internet Politics, Routledge, London and New York, 2008.

VAN DIJK, J. A. G. M. The Evolution of the Digital Divide. The Digital Divide turns to Inequality of Skills and Usage. In.: J. BUS et al. (eds.) Digital Enlightenment Yearbook, IOS Press, 2012, p. 57-75.

WARTH, A. Em 1998, telefonia fixa era cara e tinha fila de espera. O Estado de São Paulo, 29/07/2018, Brasília. Disponível em: https://link.estadao.com.br/noticias/cultura-digital,em-1998-telefonia-fixa-era-cara-e-tinha-fila-de-espera,70002420042. Acesso em: 15 out. 2019.




DOI: https://doi.org/10.14571/brajets.v14.n2.246-261

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ