FEMALE PROFESSORS IN HIGHER EDUCATION: ANALYZING GENDER ISSUES AT THE FEDERAL UNIVERSITY OF PAMPA

Vanessa Ferreira Backes, Jean Rodrigo Thomaz, Fabiane Ferreira da Silva

Abstract


This paper discusses the presence of women as teachers in higher education, based on the analysis of academic, professional and personal trajectories of five female professors of the Federal University of Pampa. The analysis of a virtual questionnaire answered by the participants allowed to understand the reasons which led these women to choose a teaching training degree, an area considered typically feminine, and to reveal aspects that make the university a means of reproduction of gender differences. There were raised, too, quantitative data on the number of male and female professors by field of study, revealing there is still a gender division in certain areas at the University. The discussion takes gender studies as theoretical support, in order to discuss historical, social and cultural issues involved in the constitution of the individuals, especially in their professional choices.

References


ALBUQUERQUE JÚNIOR, D. M. de. Por um ensino que deforme: o docente na pós-modernidade. 2010. Disponível em: . Acesso em: 17 mar. 2014.

ALMEIDA, J. S. de; SOARES, M. Mudaram os tempos; mudaram as mulheres? Memórias de professoras do Ensino Superior. Revista da Avaliação da Educação Superior, v. 17, n. 2, p. 557-580, jul. 2012.

ALVES, B. M.; PITANGUY, J. O que é feminismo. São Paulo: Editora Brasiliense, 2003.

CABRAL, C. G.; BAZZO, W. A. As Mulheres nas Escolas de Engenharia Brasileiras: História, Educação E Futuro. Revista de Ensino de Engenharia. v. 24, n. 1, p. 3-9, 2005.

CARVALHO, C. L. de. Decreto 7.247 – Reforma do Ensino Primário e

Secundário do Município da Corte e o Superior em todo o Império. In: BARBOSA, R. Reforma do Ensino Secundário e Superior. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1942. P. 273-303.

CONNELLY, M.; CLANDINNIN, J. Relatos de experiência e investigación narrativa. In: LARROSA, Jorge ET AL. Déjame que te cuente. Barcelona: Laertes, 1995. P. 11- 59.

FERREIRA, N. B. da S. Mulher e Universidade: a longa e difícil luta contra a invisibilidade. In: Conferência Internacional sobre os Sete Saberes Necessário à Educação, 1. Fortaleza/Ceará. Anais... Fortaleza/Ceará: Universidade Católica de Brasília e Universidade Estadual do Ceará, 2010. 8 p. Disponível em: . Acesso em: 8 mai. 2014.

HAHNER, J. E. Escolas Mistas, Escolas Normais: a Coeducação e a Feminização do Magistério no Século XIX. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 2, n. 19, p.467-474, maio/agosto, 2011. Disponível em: . Acesso em: 9 abr. 2014.

INEP. A mulher na educação superior brasileira: 1991-2005 / Organizadores: Dilvo Ristoff. [et al.]. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2007.

INEP. Censo da educação superior: 2012 – resumo técnico. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2013. Disponível em: Acesso em: 26 jul. 2014.

LARROSA, J. Narrativa, identidad y desidentificación. In: _____. La experiencia de la lectura. Barcelona: Laertes, 1996. P. 461-482.

LOURO, G. L. Gênero, Sexualidade e Educação: Uma perspectiva pós-estruturalista. Petrópolis: Vozes, 1997.

LOMBARDI, M. R. Engenheiras brasileiras: inserção e limites de gênero no campo profissional. Cadernos de Pesquisa. v. 36, n. 27, p. 173-202, jan./abr. 2006.

LOPES, M. J. M.; LEAL, S. M. C. A feminização persistente na qualificação profissional da enfermagem brasileira. Cadernos Pagu, n. 24, p.105-125, jan./jun. 2005.

MELO, H. P. de; LASTRES, H. M. M. Ciência e Tecnologia Numa Perspectiva de Gênero. In: SANTOS, L. W. dos; ICHIKAWA, E. Y.; CARGANO, D. de F. (Orgs.). Ciência, tecnologia e gênero: desvelando o feminino na construção do conhecimento. Londrina: IAPAR, 2006. P. 129-160.

PAPI, S. de O. G. Professores: formação e profissionalização. Araraquara/SP: Junqueira & Marin, 2005.

ROSEMBERG, F. Mulheres Educadas e a Educação de Mulheres. In: PINSKY, C. B.; PEDRO, J. M. (Orgs). Nova História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. P. 333-359.

ROCHA-COUTINHO, M. L. Mulher Moderna é Assim, dá Conta de Tudo...: a Difícil Arte de Equilibrar Trabalho e Família. In: STREY, M. N. et al. Gênero e Ciclos Vitais: Desafios, Problematizações e Perspectivas. Porto Alegre: Edipucrs, 2012. P. 193-220.

SANTOS, E. Gênero e Literatura Gaúcha. 2002. Disponível em: . Acesso em: 26 abr. 2014.

SCHIEBINGER, L. O feminismo mudou a ciência? São Paulo: EDUSC, 2001.

SILVA, F. F. da. Mulheres na ciência: Vozes, tempos, lugares e trajetórias. 2012. Tese (Doutorado em Educação em Ciências) – Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: Química da Vida e Saúde, Universidade Federal do Rio Grande, Rio Grande.

SCOTT, A. S. O caleidoscópio dos arranjos familiares. In: PINSKY, C. B.; PEDRO, J. M. (Orgs). Nova História das Mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. P. 15-42.

SOARES, G. F. Mulher e o Espaço Escolar: uma discussão sobre as identidades de gênero. In: SILVA, Fabiane Ferreira et al. Sexualidade e Escola: Compartilhando Saberes e Experiências. Rio Grande: FURG, 2008. P. 70-87.




DOI: https://doi.org/10.14571/cets.v9.n2.166-181



Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ