THE SCHOOL INCLUSION OF YOUNG AND ADULTS WITH DISABILITIES: MANAGEMENT ACTIONS NECESSARY

Julimar Santiago Rocha, Antonio Amorim, Maria da Conceição Alves Ferreira, Mariana Moraes Lopes

Abstract


We are living today the challenge of instrumentalizing schools in a way that meets all the subjects respecting diversity. It is up to school management to work collectively to consolidate public educational policies that ensure the right to education for all. Managing actions become even more necessary when we perceive the increase of students with disabilities who reach the Youth and Adult Education Mode, leading us to understand the role of the management team in the construction of an inclusive school. The objective was to analyze the planning of actions of the school that contemplates the realization of the national policy of special education with focus on the execution and evaluation of these actions. Through of a qualitative approach and study of multiple case, in two municipal schools in Salvador, involving 16 subjects, we investigated if the official documents of the school contemplate actions that aim the inclusion of the person with disability in the EJA and how the management team manages the resources for the reach of them. The research reveals the need to redefine the internal performance of the manager, to achieve bigger articulation between the school management and the municipal secretaria for the implementation of an inclusive education in the EJA.

References


Amorim, A. (2015). Inovação, qualidade do ensino e saberes educacionais: Caminhos da gestão escolar contemporânea. Revista Ibero-americana de Estudos em Educação, Araraquara, v. 10, n. 2, p.400-416.

André, M. E. D. A. (2013) O que é um estudo de caso qualitativo em educação? Revista da Faeeba: Educação e Contemporaneidade, Salvador, v. 40, n. 22, p.95-103.

Brasil. C. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Promulgada em 05 de outubro de 1988. Brasília, DF: Senado, 1988. Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2017.

______. Ministério da Educação (1996), Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Presidência da República. Brasília, DF. Disponível em: < http://portal.mec.gov.br/seed/arquivos/pdf/tvescola/leis/lein9394.pdf>. Acesso em: 30 abr. 2017

______. Ministério da Educação (2008). Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília: DF. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/politicaeducespecial.pdf. Acesso em 25 abr. 2017

______. Ministério da Educação (2009). Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Documento Nacional Preparatório à VI Conferência Internacional de Educação de Adultos (VI CONFINTEA) / Ministério da Educação (MEC). – Brasília: MEC; Goiânia: FUNAPE/UFG, 2009. Disponível em: http://confinteabrasilmais6.mec.gov.br/images/documentos/documento_nacional_preparatorio_VI_CONFINTEA.pdf, Acesso em 30/04/2017

______. Ministério da Educação: FNDE (2013). Resolução nº 19, de 21 de maio de 2013. Dispõe sobre a destinação de recursos financeiros, nos moldes operacionais e regulamentares do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), a escolas públicas municipais, estaduais e do Distrito Federal da educação básica. Resolução/CD/FNDE. Brasilia: DF. Disponível em < http://www.fnde.gov.br/acesso-a-informacao/institucional/legislacao/item/4544-resolu%C3%A7%C3%A3o-cd-fnde-n%C2%BA-18,-de-21-de-maio-de-2013 > Acesso em 25 abr. 2017

______. (2015). Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Presidência da República, Brasília: DF. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm > Acesso em: 30 abr. 2017.

______. Ministério da Educação (2014). Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Dados do Censo Escolar 2008-2014. Brasília: MEC: Deed. Disponível em http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_docman&view=download&alias=17044-dados-censo-2015-11-02-materia&Itemid=30192. Acesso em 30 abr. 2017

Bruno, L. E. N. B. (1995) Relações de trabalho e teorias administrativas. In: A autonomia e a qualidade do ensino na escola pública. São Paulo: FDE, p. 125-139.

Ferreira, W. B. (2005). Educação Inclusiva: Será que sou a favor ou contra uma escola de qualidade para todos? Revista da Educação Especial, n. 40, p. 40-46.

Freire, P. (1993). Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho d’Água

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas da pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas. 207 p.

Ireland, T. D. (2016) Todas as Modalidades de Educação são iguais, mas algumas são mais iguais do que outras: a Educação de Jovens e Adultos como direito humano em bate. In: DANTAS, Tânia Regina; AMORIM, Antônio; LEITE, Gildeci de Oliveira (Org.). Pesquisa, formação, alfabetização e direitos em educação de Jovens e Adultos. Salvador: Edufba, p. 205-222.

Libâneo, J.C. (2001). Organização e Gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Alternativa.

Manton, M.T. E. (2003). Inclusão escolar: O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Moderna, 95 p

Mendes, E. G. (2006). A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Rev. Bras. Educ, São Paulo, v. 11, n. 33, p.387-559

Minayo, M. C. de S. (2001). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 18ed. Petrópolis: Vozes.

Moreno Bayardo, M. G. (1995). Investigación e innovación educativa. La Tarea. Revista de Educación y Cultura de la sección 47 del SNTE, Guadalajara, n.7, p.21- 25, dic. 1995.

Perrenoud, P. (2000). Dez novas competências para ensinar. Porto Alegre: Artes Médicas.

Peters, B. G. (1986). American Public Policy. Chatham, N.J.: Chatham House.

Rodrigues, D. (2006). Dez idéias (mal)feitas sobre a educação inclusiva. In: (2006) David Rodrigues (Org.). Inclusão e Educação: doze olhares sobre a Educação Inclusiva, São Paulo. Summus Editorial, p.1-16.

Sage, D. D. (1999). Estratégias administrativas para a realização do ensino inclusivo. In: Stainback, S; Stainback, W. Inclusão: um guia para educadores. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, p.129-141.

Salvador (2016). Lei Municipal nº 9105, de 03 de julho de 2016. Aprova o Plano Municipal de Educação de Salvador e dá outras providências. Salvador: BA. Disponível em https://leismunicipais.com.br/a/ba/s/salvador/lei-ordinaria/2016/911/9105/lei-ordinaria-n-9105-2016-aprova-o-plano-municipal-de-educacao-de-salvador-e-da-outras-providencias?q=educa%E7%E3o%20especial. Acesso em 15 de fev. 2017

______. Secretaria Municipal de Educação (2013). Resolução Municipal nº038, de 20 de setembro de 2013. Estabelece normas para a Educação Especial, na Perspectiva da Educação Inclusiva, para todas as Etapas e Modalidades da Educação Básica no Sistema Municipal de Ensino de Salvador: BA

SILVA, J. B. da. (2006). Valorização dos saberes docentes na formação de professores de EJA. In: SOARES, Leôncio (Org). Formação de educadores de jovens e adultos. Belo Horizonte: Autêntica / SECAD-MEC / UNESCO.




DOI: https://doi.org/10.14571/brajets.v11.n3.506-521



Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ