SCIENTIFIC DISSEMINATION AND CTS: A YOUTUBE VIDEOS STUDY ON ENVIRONMENTAL THEMATICS

Rafael Augusto Melo, Brenda Braga Pereira, Isadora Moutinho Carvalho ângelo Menezes, Diego Ferreira Moreira

Abstract


This research aimed to analyze the articulations between Science, Technology and Society in Youtube videos, which approached environmental issues. The videos were chosen from channels that called themselves scientific dissemination, and that owned the ScienceVlogs "seal of quality". It were selected the Pirula Channel, the Slow Channel and Common Point, due they exhibited Nature Sciences information and they had videos about environmental impacts. From the video selection were carried out two analysis. The first one was a mapping of the number of views, of the number of subscribers and also about some features of these channels, such as language, target audience and environmental theme. The second analysis verified how the features of Science, Technology and Society appeared in each of the videos. The Science category was divided in three clusters: Interdisciplinar, Science’s Nature and Content-focused. It was realized the videos approach were mostly content-focused. There were few interdisciplinary videos. In Science’s Nature cluster there were scientific work features and some science point of views, mainly from the authors themselves. In the Technology category, two groups were created: Apparatus and Development. It was verified technology’s features related with the use of them as a tool or their development over time. The both ways were used to exemplify certain content. Only two videos were about features related with our referential about non-neutrality of technology. In the Society category were created three groups: Politics, Economy and Articulation with daily life, which were relevant features to CTS research, since it can contribute to the development of autonomy in individuals.

References


Auler, D., & Bazzo, W. A. (2001). Reflexões para a implementação do movimento CTS no contexto educacional brasileiro. Ciência & Educação (Bauru), v. 7, n. 1, p. 1-13.

Auler, D., & Delizoicov, D. (2001). Alfabetização científico-tecnológica para quê?. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 3, n. 2, p. 122-134.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo, Brasil: Edições 70, 225p.

Benevenuto, F., Almeida, J. M., & Silva, A. S. (2011) Explorando redes sociais online: Da coleta e análise de grandes bases de dados à s aplicações. Porto Alegre: Sociedade Brasileira de Computação.

Bueno, W. C. (2010) Comunicação científica e divulgação científica: aproximações e rupturas conceituais. Informação & Informação, v. 15, n. 1esp, p. 1-12.

Carvalho, J. A., Gurgel, P. K. F., Lima, K. Y. N., Dantas C. N., & Martins C. C. (2013). Análise de vídeos do YouTube sobre aleitamento materno: importância e benefício. Revista de enfermagem UFPE on line-ISSN: 1981-8963, v. 7, n. 3, p. 1016-1022.

Fernandes, R. S., Souza, V. J., Pelissari, V. B., & Fernandes, S. T. (2004). Uso da percepção ambiental como instrumento de gestão em aplicações ligadas à s áreas educacional, social e ambiental. Encontro Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ambiente e Sociedade, v. 2, n. 1, p. 1-15.

Pereira, L. T. (2009). O uso do youtube como ferramenta no ensino da química: análise de vídeo. Universidade Estadual Paulista - UNESP.

Reis, J. Ponto de vista: José Reis (entrevista). In: Massarani, L.; Moreira, I. C., Brito, F. (Orgs.) (2002). Ciência e Público: caminhos da divulgação científica no Brasil. Rio de Janeiro: Casa da Ciência, UFRJ.

Santos, W. L. P. (2007). Educação científica humanística em uma perspectiva freireana: resgatando a função do ensino de CTS. Alexandria: revista de educação em ciência e tecnologia, v. 1, n. 1, p. 109-131.

Santos, W. L. P., & Mortimer, E. F. (2001) Tomada de decisão para ação social responsável no ensino de ciências. Ciência & Educação (Bauru), v. 7, n. 1, p. 95-111.

Santos, W. L. P., & Mortimer, E. F. (2000). Uma análise de pressupostos teóricos da abordagem CTS (Ciência–Tecnologia–Sociedade) no contexto da educação brasileira. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências, v. 2, n. 2, p. 1-23.

Schneider, C. K., Caetano, L., & Ribeiro, L. O. M. (2012). Análise de vídeos educacionais no YouTube: caracteres e legibilidade. RENOTE, v. 10, n. 1.

Sciencevlogs Brasil. O Projeto. Disponível em: . Acesso em: 15 set 2017.

Vogt, C. & Polino, C. (2003). Percepção pública da ciência: resultados da pesquisa na Argentina, Brasil, Espanha e Uruguai. Editora da UNICAMP FAPESP.

Tourinho, F. S. V., Medeiros, K. S., Salvador, P. T. C. O., Castro, G. L. T., & Santos, V. E. P. (2012). Análise de vídeos do YouTube sobre suporte básico de vida e reanimação cardiopulmonar. Rev. Col. Bras. Cir, v. 39, n. 4, p. 335-339.

Valério, M., & Bazzo, W. A. (2008) O papel da divulgação científica em nossa sociedade de risco: em prol de uma nova ordem de relações entre ciência, tecnologia e sociedade. Revista de Ensino de Engenharia, v. 25, n. 1.

Von Linsingen, I. (2007). Perspectiva educacional CTS: aspectos de um campo em consolidação na América Latina. Ciência & Ensino (ISSN 1980-8631), v. 1.




DOI: https://doi.org/10.14571/brajets.v13.n4.410-423

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ