STAGES OF INVESTIGATIVE PRACTICES: THE NEXT AND THE DISTANCES OF DIFFERENT CONTEXTS

Fabiana Pauletti

Abstract


Knowing the steps of different investigative practices can be a means to disseminate and encourage the use of research in school. The objective of this article is to discuss the stages of investigative practices used in the Brazilian and international context in the decade of 2006 to 2016. For this study, two systematic reviews of the literature were carried out: one in the Brazilian context and another in the international context. The closest accents are that research is usually initiated by a problem/question/questioning. The distancing is relative to who should propose this problem/question/questioning: the teacher and/or the students. Another proximity refers to communication, dissemination and/or sharing of results on the part of students, it is essential the learning and critical positioning of these subjects. Another very evident distance is that there seem to be more stages in the Inquiry-Based Science Education (IBSE) in an international context than in the Brazilian context, since before the construction of arguments and systematization of knowledge students are involved in a stage of preparation, engagement and organization in order to think collectively " how "to respond to the initial questioning.

References


Akkus, R., Gunel, M. & Hand, B. (2007). Comparing an Inquiryâ€based Approach known as the Science Writing Heuristic to Traditional Science Teaching Practices: Are there differences? International Journal of Science Education, v. 29, n. 14, p. 1745-1765.

Almeida, S. L. S. S., Araújo, M. F. F., & Oliveira, K. S. (2014). Ensino por investigação: uma proposta de leitura e escrita no ensino de Biologia. Revista da SBEnBio, n. 07, p. 6758-6764.

Amaral, I. B., & Lima, V. M. R. (2011). A educação pela pesquisa, o questionamento e a crítica: propostas viáveis para ensinar e aprender. Acta Scientiae, Canoas, v. 13, n. 1, p. 140-157.

Azevedo, M. C. P. S. (2004). Ensino por investigação: problematizando as atividades em sala de aula. In: Carvalho, A. M. P. (org.). Ensino de Ciências: unindo a pesquisa e a prática. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, p. 19-33.

Bhattacharyya, S. et al. (2013). Effectiveness of Science Method Teaching in Teacher Education: A longitudinal case study. Electronic Journal of Science Education, v. 17, n. 2, p. 1-27.

Binnato, P. F. et al. (2015). Investigando o lixo: uma proposta investigativa para os anos finais do Ensino Fundamental. Revista Exatas Online, Jequié, v. 6, n. 1, p. 1-14.

Boff, E. T. de O. et al. (2014). Educar pela pesquisa: desafios e possibilidades no ensino superior. In: Membiela, P., Casado, N., & Cebreiros, M. I. (ed.). Investigaciones en el contexto universitario actual. 2. ed. Vigo: Educación Editora, v. 2, p. 589-593.

Boss, S. L. B. et al. (2009). Ensino por investigação: relato de uma experiência pedagógica em Termodinâmica. In: Simpósio Nacional de Ensino de Física - SNEF. 18. 2009. Anais..., Vitória.

Braga, R. G., & Matos, S. A. (2013). Kronus: Refletindo sobre a construção de um jogo com viés investigativo. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá, v. 8, n. 2, p. 1-19.

Brasil, E. D. F., & Leite, S. Q. M. (2015). Formação continuada de professores de CieÌ‚ncias da natureza: produção colaborativa e ensino por investigação. In: Encontro Nacional de Pesquisas em Educação em Ciências. 10. 2015. Anais..., Águas de Lindóia.

Brasil. (2013). Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais para a Educação Básica - Ministério da Educação, Secretária de Educação Básica. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI.

Carmo, A. B. (2012). Ensinando quantidade de movimento: como conciliar o tempo restrito com as atividades de ensino investigativas na sala de aula? Ciência em Tela, Rio de Janeiro, v. 5, n. 1, p. 1-9.

Carmo, A. B., & Carvalho, A. M. P. (2014). Uma proposta de sequência de ensino investigativa sobre quantidade de movimento, sua conservação e as leis de Newton. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 31, n. 1, p. 30-59.

Carvalho, A. M. P. (cord.), et al. (1999). Termodinâmica: um ensino por investigação. São Paulo: FEUSP.

Carvalho, A. M. P. (org.), et al. (2014). Calor e temperatura: um ensino por investigação. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Carvalho, A. M. P. (2011). Ensino e aprendizagem de Ciências: referencias teóricos e dados empíricos das sequências de ensino investigativas (SEI). In: Longhini, M. D. (org.). O uno e o diverso na educação. 1. ed. Uberlândia: EDUFU, p. 253-266.

Carvalho, A. M. P. (1995). Investigaciones en la aula: un factor importante en la formación de docentes. Revista Enseñanza de la Física, Barcelona, v. 8, n.1, p. 23-29.

Carvalho, A. M. P. (2013). O ensino de Ciências e a proposição de sequências de ensino investigativas. In: Carvalho, A. M. P. (org.). Ensino de Ciências por investigação: condições para implementação em sala de aula. São Paulo: Cengage Learning, p. 1- 20.

Carvalho, A. M. P., & Sasseron, L. H. (2015). Ensino de Física por investigação: referencial teórico e as pesquisas sobre as sequências de ensino investigativas. Ensino Em Re-Vista, Uberlândia, v. 22, n. 2, p. 249-266.

Clement, L., Custódio, J. F., & Filho, J. P. A. (2015). Potencialidades do ensino por investigação para promoção da motivação autônoma na educação científica. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 8, n. 1, p.101-129.

Clement, L., & Terrazan, E. A. (2012). Resolução de problemas de lápis e papel numa abordagem investigativa. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá, v. 7, n. 2, p. 98-116.

Coelho, S. M., Timm, R. M. B., & Santos, J. M. (2010). Educar pela pesquisa: uma experiência investigativa no ensino e aprendizagem de Física. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v. 27, n. 3, p. 549-567.

Deboer, G. E. (2006). Historical perspectives on inquiry teaching in schools. In: Flick, L. B.; Ledreman, N. G. (eds.). Scientific inquiry and nature of Science. Implications for teaching, learning, and teacher education. Springer.

Dejonckheere, P. J. N. et al. (2016). Exploring the Classroom: Teaching Science in Early Childhood. International Electronic Journal of Elementary Education, v. 8, n. 4, p. 537-558.

Demo, P. (2015). Educar pela pesquisa. 10. ed. Campinas: Autores Associados.

Duran, E. et al. (2009). The Impact of a Professional Development Program Integrating Informal Science Education on Early Childhood Teachers’ Self-Efficacy and Beliefs About Inquiry-Based Science Teaching. Journal of Elementary Science Education, v. 21, n. 4, p. 53-70.

Ferreira Junior, M. B., & Souza, P. H. (2015). Uma aula sobre reflexão da luz por investigação na EJA. Polyphonía, Goiânia, v. 26, n.1, p. 151-166.

Figueiredo, V. B., Amaral, P., & Oliveira, A. L. (2011). Fotossíntese e o ensino de Biologia por investigação: uma experiência com alunos do Ensino Médio. In: Encontro Regional de Biologia Sul - EREBIO-SUL. 5. 2011 e Simpósio Latino Americano e Caribenho de Educação em Ciências do International Council of Associations for Science Education – ICASE. 4. 2011 Anais..., Londrina.

Furtado, L. (2010). Kindergarten Teachers’ Perceptions of an Inquiry-Based Science Teaching and Learning Professional Development Intervention. New Horizons in Education, v. 58, n. 2, p. 104-120.

Furtak, E. M. et al. (2012). Experimental and Quasi-Experimental Studies of Inquiry-Based Science Teaching: A Meta-Analysis. Review of Educational Research, v. 82, n. 3, p. 300-329.

Galiazzi, M. C. (2012). O professor na sala de aula com pesquisa. In: Moraes, R., & Lima, V. M. R. Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: Edipurcs, p. 215-231.

Gao, S. (2014). Relationship between Science Teaching Practices and Students’ Achievement in Singapore, Chinese Taipei, and the US: An Analysis Using TIMSS 2011 Data. Frontiers of Education in China, v. 9, n. 4, p. 519-551.

Gavazzoni, M. et al. (2014). Um estudo sobre o ensino por investigação no nível fundamental: o caso das formigas. Revista de Educación em Biologia, v. 17, n. 2, p. 101-110.

Gehlen, S. et al. (2008). Resignificação curricular: contribuições da Investigação Temática e da Análise Textual Discursiva. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 8, n. 2, p. 1-13.

Gessinger, R. M. (2012). Teoria e fundamentação teórica na pesquisa em sala de aula. In: Moraes, R., & Lima, V. M. do R. Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: Edipurcs, p. 141-150.

Gil, R. L. (2008). Ensino de Ciências: implicações das teorias de Vigotsky e o movimento de educar pela pesquisa. In: Semana da Biologia - SEMABIO, 5. 2008. Anais..., Jataí, p. 87-93.

Güllich, R. I. C. (2013). O educar pela pesquisa na Perspectiva de Supervisores de Escolas Públicas Municipais de Giruá, Rio Grande do Sul, Brasil. Revista de Contexto e Educação, Frederico Westphalen, v. 28, n. 90, p. 53-71.

Harres, J. B. S. (2012). A pesquisa como princípio da prática educativa: um estudo de caso sobre formação de professores de física no programa PIBID. In: Encontro Nacional de Pesquisas e Práticas em Educação -– ENAPPE. 1. 2012. Anais..., Natal.

Hodosyová, M. et al. (2015). The Development of Science Process Skills in Physics Education. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v. 186, p. 982-989.

Ioannidou, A. et al. (2010). Mr. Vetro: A Collective Simulation for teaching health science. International Journal of Computer-Supported Collaborative Learning, v. 5, n. 2, p. 141-166.

King, D. (2012). New perspectives on context-based chemistry education: using a dialectical sociocultural approach to view teaching and learning. Studies in Science Education, v. 48, n. 1, p. 51-87.

Klein, C. L., & Wenzel, J. S. (2014). O Educar pela Pesquisa nas narrativas em Diário de Bordo de Professoras Supervisoras do PIBIDCiências. In: Seminário Internacional de Educação em Ciências – SINTEC. 3. 2014. Anais..., Rio Grande.

Korolija, J. N. et al. (2009). A contribution to Science for All: Learning about polymers, Problems of education in the 21st century, v. 17.

Krämer, P., Nessler, S. H., & Schlüter, K. (2015). Teacher students’ dilemmas when teaching science through inquiry. Research in Science & Technological Education, v. 33, n. 3, p. 325-343.

Laburú, C. E., & Carvalho, A. M. P. (1992). Investigación del desarrolo y aprendizaje de la noción de aceleración en adolescentes, investigación y experiencias didacticas. Enseñanza de las Ciencias, Barcelona, v. 10, n.1, p. 63-72.

Leite, J.C., Rodrigues, M. A., & Júnior, C. A. O. M. (2015). Ensino por investigação na visão de professores de Ciências em contexto de formação continuada. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Tecnologia, Ponta Grossa, v. 8, ed, Sintec, p. 42-53.

Leonard, J. et al. (2011). Teaching Science Inquiry in Urban Contexts: The Role of Elementary Preservice Teachers’ Beliefs. Urban Review, v. 43, n.1, p. 124-150.

Leonor, P. B., Leite, S. Q. M., & Amado, M. V. (2013). Ensino por investigação no primeiro ano do Ensino Fundamental: análise pedagógica dos trrês momentos pedagógicos de Ciências para alfabetização científica de crianças. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências - ENPEC. 9. 2013. Anais..., Águas de Lindoia.

Lessa, M. S., & Briccia, V. (2013). Ensino de Ciências por investigação: uma sequência didática para o ensino de eletromagnetismo. In: Encontro de Pesquisa em Ensino de Ciências - ENPEC. 9. 2013. Anais..., Águas de Lindóia.

Lima, V. M. R. (2012). Pesquisa em sala de aula: um olhar na direção do desenvolvimento da competência social. In: Moraes, R., & Lima, V. M. R. Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: Edipurcs, p. 203-214.

Lima-Tavares, M. et al. (2012). Panorama das monografias defendidas entre 2007 e 2011 no curso de especialização em ensino de ciências por investigação. In: Seminário de Educação a Distância: Tão Longe, Tão Perto. 4. 2012. Anais..., Belo Horizonte.

Lindemann, R. H. et al. (2007). Biocombustíveis e o ensino de Ciências: compreensões de professores que fazem pesquisa na escola. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC. 6. 2007. Anais....

Lindemann, R. H. et al. (2009). Biocombustíveis e o ensino de Ciências: compreensões de professores que fazem pesquisa na escola. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 8, n. 1, p. 342-358.

Lozada, C. O., & Araujo, M. S. T. (2006). A aprendizagem em Física na nanoaventura e o educar pela pesquisa em museus de Ciências. In: Simpósio de Investigación en Educación en Física – SIEF. 8. 2006. Anais…, Gualeguaychú.

Luz, M. R. M. O., & Oliveira, M. de F. A. (2008). Identificando os nutrientes energéticos: uma abordagem baseada em ensino investigativo para alunos do Ensino Fundamental. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 8, n. 2, p. 30-40.

Luz, S. L. C., Araújo, M. S. T., & Maciel, M. D. (2007). A pesquisa como veículo para aprender a aprender Física na escola básica. In: Simpósio Nacional de Ensino de Física: o Ensino de Física e Sustentabilidade – SNEF. 17. 2007. Anais..., São Luiz.

Magee, P. A., & Flessner, R. (2012). Collaborating to improve inquiry-based teaching in elementary science and mathematics methods courses. Science Education International, v. 23, n. 4, p. 353-365.

Maia, L., Silva, J. F., & Freguglia, J. M. G. (2011). O uso de coleções zoológicas a partir da abordagem do ensino por investigação - possibilidades de integração de conteúdos. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências - ENPEC. 8. 2011. Congresso Iberoamericano de Investigacion en Enseñanza de las Ciencias – CIEC. 1. 2011. Anais..., Campinas.

Malina, E., Plunk, D., & Lindell, R. (2006). Development of a standards-based integrated science course for elementary teachers. American Institute of Physics, v. 818, n. 19, p. 19-22.

Mamlok-Naaman, R., & Barnea, N. (2012). Laboratory activities in Israel. Eurasia Journal of Mathematics, Science & Technology Education, v. 8, n. 1, p. 49-57.

Massena, E. P. (2015). A formação inicial de professores de Química pensada a partir de alguns pressupostos do educar pela pesquisa. Educação Unisinos, São Leopoldo, v. 19, n. 1 p. 45-56.

Matos, S. A., & Martins, C. M. C. (2011). O ensino por investigação como campo conceitual na teoria de Vergnaud. In: Encontro Nacional de Pesquisa e Ensino de Ciências – ENPEC. 8. 2011. Congresso Iberoamericano de Investigacion en Enseñanza de las Ciencias – CIEC. 1. 2011. Anais..., Campinas.

Matos, S. A., Santos, R. R., & Silva, N. S. (2013). As contribuições da especialização em ensino de Ciências por investigação a prática docente. In: Seminário Internacional de Educação a Distância: Meios, Atores e Processos. 5. 2013. Anais..., Belo Horizonte.

Máximo, M. P., & Abib, M. L. V. S. (2012). Ensino por investigação e aprendizagem de conceitos físicos e de habilidades ao longo do tempo. In: Encontro de Pesquisa em Ensino de Física – EPEF. 14. 2012. Anais....

Meireles, S. M. et al. (2014). O bicho-pau na sala de aula: construindo uma proposta investigativa com crianças de seis anos. Revista da SBEnBio, v. 7, p. 6735-6745.

Moraes, R., Galiazzi, M. C., & Ramos, M. G. (2012). Pesquisa em sala de aula: fundamentos e pressupostos. In: Moraes, R., & Lima, V. M. R. Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: Edipurcs.

Morais, C. S., Simoes Neto, J. E., & Ferreira, H. S. (2014). Perspectivas de ensino das Ciências: o modelo por investigação no Sertão Pernambucano. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá, v. 9, n. 1, p. 90-100.

Mumba, F. et al. (2015). Chemistry Teachers’ Perceived Benefits and Challenges of Inquiry-based Instruction in Inclusive Chemistry Classrooms. Science Education International, v. 26, n. 2, p. 180-194.

Munford, D., & Lima, M. E. C de C. (2007). Ensinar Ciências por investigação: o que estamos de acordo? Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 9, n. 1, p. 72-89.

Murphy, T. P., & Mancini-Samuelson, G. J. (2012). Graduating STEM Competent and Confident Teachers: The Creation of a STEM Certificate for Elementary Education Majors. Journal of College Science Teaching, v. 42, n. 2, p. 18-23.

Nascimento, A. P. do., Cirino, D. W., & Ghilardi-Lopes, N. P. (2014). Ensino por investigação e alfabetização científica: relato de experiência e análise das atividades do PIBID Biologia UFABC (2011 - 2014). Revista da SBEnBio, n. 7, p. 335-343.

Nehring, A. et al. (2015). Predicting Students’ Skills in the Context of Scientific Inquiry with Cognitive, Motivational, and Sociodemographic Variables. International Journal of Science Education, v. 37, n. 9, p. 1343-1363.

Netto, M. Z. C., & Halmann, A. L. (2015). O educar pela pesquisa como possibilidade metodológica na formação do pedagogo e na educação científica nos anos iniciais do ensino fundamental. In: VI Encontro Regional de Ensino de Biologia – VI EREBIO. 6. 2015. Anais..., Vitória da Conquista.

Oliveira, M. M. de. et al. (2010). Práticas experimentais de Física no contexto do ensino pela pesquisa: uma reflexão. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá, v. 5, n. 3, p. 29-38.

Oliveira, S. G. T., & Neves, M. L. R. R. (2015). O ensino de Ciências por investigação em uma abordagem experimental: relato de experiência. In: Encontro Regional de Ensino de Biologia – EREBIO. 3. 2015. Anais..., Juiz de Fora.

Paiva, J. R., Barrelo, N., & Carvalho, A. M. P. (2013). Uma construção multimodal de alguns aspectos de enculturação científica em uma sequência de ensino Éinvestigativa junto a alunos do Ensino Médio. In: Simpósio Nacional de Ensino de Física – SNEF. 20. 2013. Anais..., São Paulo.

Pauletti, F. (2018). A pesquisa como princípio educativo no ensino de Ciências: concepções e práticas em contextos brasileiros. 2018. 131 f. Tese (Doutorado em Educação em Ciências e Matemática) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre.

Pedaste, M. et al. (2015). Phases of inquiry-based learning: definitions and the inquiry cycle. Educational Research Review, n. 14, p. 47-61.

Penha, S. P., & Carvalho, A. M. P. (2015). Laboratório didático investigativo e os objetivos da enculturação científica: análise do processo. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 5, n. 2, p. 6-23.

Pereira, M. M., Soares, V., & Andrade, V. A. (2011). Escrita como ferramenta indicativa das possíveis contribuições de uma atividade investigativa sobre temperatura para a aprendizagem. Experiências em Ensino de Ciências, Cuiabá, v. 6, n. 3, p. 118-132.

Pickering, C., & Byrne, J. (2014). The benefits of publishing systematic quantitative literature reviews for PhD candidates and other early career researchers. Higher Education Research and Development, v. 33, n. 3, 534-548.

Polinarski, C. A., Lima, B. G. T. de., & Carniatto, I. (2014). Reflexões e experiências no contexto do ensino por investigação: PIBID/Biologia - Unioeste. 1. ed. Porto Alegre: Unioeste.

Quintao, T. D., Valadares, J. M., & Aguiar Júnior, O. G. (2015). Uso de demonstrações investigativas em sala de aula de Física para promover o engajamento dos estudantes. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC. 10. 2015. Anais..., Águas de Lindóia.

Ramnarain, U. (2015). Connecting the hands-on to the minds-on: A video case analysis of South African physical sciences lessons for student thinking. Eurasia - Journal of Mathematics, Science & Technology Education, v. 11, n. 5, p. 1151-1163.

Ramos, M. G. (2012). Educar pela pesquisa é educar para a argumentação. In: Moraes, R., & Lima, V. M. do R. Pesquisa em sala de aula: tendências para a educação em novos tempos. 3. ed. Porto Alegre: Edipurcs, p. 21-38.

Ramos, M. G. et al. (2011). As relações entre a pesquisa e o ensino em Ciências: um estudo exploratório. In: VIII Encontro Nacional de Pesquisadores de Ensino de Ciências - VII ENPEC. 8. 2011. Anais..., Campinas.

Ramos, M. G., Lima, V. M. R., & Rocha Filho, J. B. (2009). A pesquisa como prática na sala de aula de Ciências e Matemática: um olhar sobre dissertações. Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, Florianópolis, v. 2, n. 3, p. 53-81.

Ratinen, I. et al. (2015). Primary student-teachers??? Practical knowledge of inquiry-based science teaching and classroom communication of climate change. International Journal of Environmental and Science Education, v. 10, n. 5, p. 649-670.

Rodríguez-Arteche, I., & Martínez-Aznar, M. M. (2016). Introducing Inquiry-Based Methodologies during Initial Secondary Education Teacher Training Using an Open-Ended Problem about Chemical Change. Journal of Chemical Education, v. 93, n. 9, p. 1528-1535.

Roehrig, G. H. et al. (2011). We Look More, Listen More, Notice More: Impact of Sustained Professional Development on Head Start Teachers’ Inquiry-Based and Culturally-Relevant Science Teaching Practices. Journal of Science Education and Technology, v. 20, n. 5, p. 566-578.

Roehrig, G. H., Kruse, R. A., & Kern, A. (2007). Teacher and School Characteristics and Their Influence on Curriculum Implementation. Journal of Research In Science Teaching, v. 44, n. 7, p. 883-907.

Sá, E. F., Lima, M. E. C. de C., & Aguiar Júnior, O. G. de. (2011). A construção de sentidos para o termo ensino por investigação no contexto de um curso de formação. Investigações em Ensino de Ciências, Porto Alegre, v. 16. n. 1, p. 79-102.

Santau, A. O., & Ritter, J. K. (2013). What to Teach and How to Teach It: Elementary Teachers’ Views on Teaching Inquiry-Based, Interdisciplinary Science and Social Studies in Urban Settings. The New Educator, v. 9, n. 4, p. 255-286.

Santos, S.A., & Costa, I. A. S. (2012). Prática investigativa: experimentando o mundo da microbiologia. In: Seminário Nacional do Ensino Médio: profissão docente, currículo e novas tecnologias – SENACEM. 2. 2012. Anais..., Mossoró.

Sasseron, L. H. (2015). Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre Ciências da Natureza e escola. Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 17. n. esp., p. 49-67.

Savec, V. F., & Devetak, I. (2013). Evaluating the Effectiveness of Students’ Active Learning in Chemistry. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v. 106, p. 1113-1121.

Schneider, E. M., Tobaldini, B. G., & Ferraz, D. F. (2014). O uso de modalidades didáticas no contexto do PIBID e o ensino por investigação. In: ANPED Sul. 10. 2014. Anais..., Florianópolis.

Shamsudin, N. M., Abdullah, N., & Yaamat, N. (2013). Strategies of Teaching Science Using an Inquiry Based Science Education (IBSE) by Novice Chemistry Teachers. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v. 90, p. 583-592.

Sikes, S. S., & Schwartz-Bloom, R. D. (2009). Direction Discovery: A Science Enrichment Program for High School Students. Biochemistry and Molecular Biology Education, v. 37, n. 2, p. 77-83.

Silva, F. A. R., Braga, L. C. (2012). Ensino de Ciências por investigação: uma estratégia para trabalhar atualidades em Genética. Revista da SBEnBIO, v. 5, p. 1-9.

Silva, P. A. V. B., & Araújo, M. S. T. (2010). Educar pela pesquisa na prática do Ensino Médio: uma proposta de Educação Ambiental sob enfoque CTSA no município de Barueri - SP. In: Seminário Ibero-Americano Ciência-Tecnologia-Sociedade no Ensino das Ciências. 2. 2010. Anais..., Brasília.

Silva, R. P. O. et al. (2009). Análise da argumentação em uma atividade investigativa de Biologia no Ensino Médio. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC. 7, 2009. Anais..., Florianópolis.

Silva, V. M. L., & Capecchi, M. C. V. M. (2015). Ciências na Educação Infantil: uma abordagem investigativa para a brincadeira de bolinhas de sabão. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC. 10. 2015. Anais..., Águas de Lindóia.

Soprano, K., & Yang, L. (2013). Inquiring into my science teaching through action research: a case study on one pre-service teacher’s inquiry-based science teaching and self-efficacy. International Journal of Science and Mathematics Education, v. 11, p. 1351-1368.

Souza Junior, D. R., & Coelho, G. R. (2013). Ensino por investigação: problematizando as aprendizagens em uma atividade sobre condutividade elétrica. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC. 9. 2013. Anais..., Águas de Lindóia.

Souza, J. G. L. et al. (2014). Investigações no ensino de Ciências: uma estratégia mediante a temática água. In: Polinarski, C. A., Lima, B. G. T. de., & Carniatto, I. (org.). Reflexões e experiências no contexto do ensino por investigação: PIBID/Biologia - UNIOESTE. 1. ed. Porto Alegre: UNIOESTE, v. 1, p. 51-70.

Stecanela, N. (2015). A metodologia de pesquisa em sala de aula na formação e na atuação docente. Revista Pedagógica, Chapecó, v. 17, n. 35, p. 163-178.

Sullivan-Watts, B. K. et al. (2013). Sustaining Reform-Based Science Teaching of Preservice and Inservice Elementary School Teachers. Journal of Science Teacher Education, v. 24, n. 5, p. 879-905.

Tarabal, L. M., Bicalho, R. S., & Araujo, S. N. (2015). A resolução de problemas: uma estratégia metodológica para o ensino por investigação no nível fundamental. In: Encontro Regional de Ensino de Biologia – EREBIO. 3. 2015. Anais..., Juiz de Fora.

Teixeira, A. L. S. et al. (2015). A importância do trabalho investigativo no cotidiano escolar do ensino de Ciência. In: Congresso Nacional de Educação – CONEDU. 2. 2015. Anais..., Campina Grande.

Terrazzan, E. A., Clement, L., & Nascimento, T. B. (2003). Resolução de problemas no ensino de Física baseado numa abordagem investigativa. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – ENPEC. 4. 2003. Anais..., Bauru.

Thadani, V. et al. (2010). The Possibilities and Limitations of Curriculum-Based Science Inquiry Interventions for Challenging the “Pedagogy of Povertyâ€. Equity & Excellence in Education, v. 43, n. 1, p. 21-37.

Torres, J. R. et al. (2008). Resignificação curricular: contribuições da investigação temática e da análise textual discursiva. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, v. 8, n. 2, p. 1-13.

Unlu, Z. K., Dokme, I., & Tufekci, A. (2015). An Action Research on Teaching Science through Technology Supported Inquiry - based Learning: A Pilot Study. Procedia - Social and Behavioral Sciences, v. 186, p. 46-52.

Variano, E., & Taylor, K. (2006). Inquiry in Limnology Lessons. The Science Teacher: Feature.

Vieira, F. A. C., & Zuliani, S. R. Q. (2011). A. A relação pedagógica no processo investigativo: interação entre estudantes do Ensino Médio e professores na construção do conhecimento. In: Encontro nacional de pesquisadores em Ensino de Ciências - ENPEC. 8. 2011. Congresso Iberoamericano de Investigacion en Enseñanza de las Ciencias – CIEC.1. 2011. Anais..., Campinas.

Wyzykowski, T., & Güllich, R. I. da C. (2013). Narrativas no ensino de Ciências: a investigação: - ação como processo de formação de professores. In: Encontro Regional Sul de Ensino de Biologia - EREBIO-SUL. 6. 2013. Anais..., Santo ângelo.

Zia, I. C. de A., & Scarpa, D. L. (2012). Concepções sobre o ensino investigativo e expectativas de alunos licenciandos acerca do projeto PIBID de Biologia. Revista da SBEnBio, v. 5, p. 1-9.

Zoellner, B. P., Chant, R. H., & Wood, K. (2014). “But Aren’t Diesel Engines Just for Big, Smelly Trucks?†An Interdisciplinary Curriculum Project for High School Chemistry Students. Journal of Chemical Education, v. 91, n. 4, p. 497-504.




DOI: https://doi.org/10.14571/brajets.v13.n4.432-449

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ