THE CRITICAL LITERACY AT TRAINING MOTHER TONGUE TEACHERS OF INITIAL AND ADDITIONAL

Silvio Nunes da Silva Júnior

Abstract


The present article is based on studies on literacy (SOARES, 2001) and critical literacy (STREET, 2010) to discuss the initial training of native and additional language teachers in undergraduate studies. Therefore, we analyze the perceptions of graduates in Letters of the State University of Alagoas - UNEAL, in order to rethink the pedagogical practice in basic education, considering that, during the academic formation, it is necessary to adopt a critical profile so that, from this, different strategies are developed that can guide professional practice later.

References


ALARCÃO, I. Formação reflexiva de professores: estratégias de supervisão. Porto: Editora Porto, 1996.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BRASIL, A. S; SÍVERES, L; BRITO, A. A. O perfil do professor que estimula a autonomia no processo de aprendizagem. In: 8vo Congresso Internacional de Educação Superior - Universidad 2012, 2012, Havana. La universidad por el desarrollo sostenible, 2012.

CARVALHO, M. Guia prático do alfabetizador. São Paulo: Ática, 2005.

COOK-GUMPERZ, J. The social construction of literacy. Cambridge University Press: Cambridge, 2006.

CONTRERAS, J. A autonomia de professores. São Paulo: Cortez, 2002.

DE CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: artes de fazer. Rio de Janeiro: Vozes, 1994.

DELL’ISOLA, R. L. P. Retextualização de gêneros escritos. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

FREIRE, P. Ação cultural para a liberdade e Outros Escritos. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1976.

____________. Educação como prática da liberdade. 5. ed. Rio de Janeiro: Paz e terra, 1975.p. 117.

____________. Educação como prática da liberdade. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1992.

GEBRAN, R. A.; CARNEIRO, P. C. A formação inicial e continuada do professor licenciado em Letras. Nuances (Presidente Prudente), Presidente Prudente, v. 7, n.7, p. 73-80, 2001.

GEE, J. 1996. Social linguisticsandliteracies: ideology in discourses. 2. ed. London: Taylor & Francis.

GREEN, B. Subject-specific literacy and School learning: a focus on writing. Australia Journal of Education: 30(2), 1998, p. 156-69.

KLEIMAN, A. Ação e mudança na sala de aula: uma pesquisa sobre letramento e interação. In: Rojo, R. (Org.). Alfabetização e letramento: perspectiva linguístas. Campinas: Mercado de Letras, 1998, p. 173-203.

__________. Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola. In: Kleiman, A. (Org.). Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1998, p. 1995, p. 15-61.

__________. Preciso “ensinar†o letramento? Não basta ensinar a ler e a escrever?. Campinas: Cefiel, 2005.

LÉVY, P. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Tradução de Carlos Irineu da Costa. São Paulo: Editora 34, 1993.

MATTOS, A. M. A; VALÉRIO, K. M. Letramento crítico e ensino comunicativo: lacunas e interseções. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 10, n. 1, p.135-158, 2010.

MENEZES DE SOUZA, L. M. T. Para uma redefinição de Letramento Crítico: conflito e produção de Significação. In: MACIEL, R. F. E ARAUJO, V. A. (Orgs.) Formação de professores de línguas: ampliando perspectivas. Jundiaí: Paco Editorial, 2011.

MERCADO, L. P. Formação Continuada de Professores e Novas Tecnologias. Maceió: Edufal, 1999.

MOLLICA, M. C. Fala, letramento e inclusão social. São Paulo: Contexto, 2011.

PARANÁ. Caderno de orientações pedagógicas de ensino de LE: Inglês (no prelo). Curitiba, 2007.

PIMENTA, S. G; GHEDIN, E. (Orgs.). Professor reflexivo no Brasil: gênese e crítica de um conceito. São Paulo: Cortez, 2002.

PIMENTA, S. G. De professores, pesquisa e didática. Campinas: Papirus, 2002.

POZZO, B. R. D. (2010) Estudos do Letramento: Discussão de Conceitos. Programa de Educação Tutorial – Letras Unicentro. Disponível em: http://ojs.c3sl.ufpr.br/ojs/index.php/revistax/article/viewFile/24452/16921_Acesso em: 27/10/2015.

ROJO, R. Letramentos múltiplos escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

SCHÖN, D. A. Educando o Profissional Reflexivo: um novo design para o ensino e a aprendizagem. Trad.Roberto Cataldo Costa. Porto Alegre: Artmed, 2000.

SOARES, M. Letramento: um tema em três gêneros. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2002.

SOUZA, A. C. C; CARVALHO, L. M. Licenciaturas da leitura das falas ao discurso do objeto. In: Congresso Estadual Paulista sobre formação de educadores, 1994, Águas de São Pedro, SP: UNESP, 1994. p. 40-57.

SOUZA, S. C; DOURADO, L. Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP): um método de aprendizagem inovador para o ensino educativo. HOLOS, n. 31, v. 5, p. 182-200, 2015.

STREET, B. Academic Literacies approaches to Genre? Revista Brasileira de Linguística Aplicada, v. 10, n. 2. Belo Horizonte: 2010. p. 347-361.

STREET, B. V. Literacy in theory and practice. Cambridge: Cam-bridge University Press, 1984.

TASSARA, E. T. O. O Contexto interdisciplinar na formação do professor de 1º e 2º graus. In: ________. Pensando a educação: ensaios sobre a formação do professor e a política educacional. São Paulo: Ed. UNESP, 1989.

TFOUNI, L.V. Letramentos e alfabetização. São Paulo: Cortez, 1995.

TRAVAGLIA, L. C. Gramática e interação. São Paulo: Cortez, 2001.




DOI: https://doi.org/10.14571/cets.v10.n3.236-246



Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ