The expansion of professional education from the Ministry of Agriculture, Industry and Commerce (Brazil, 1909-1930)

Marcelly Kathleen Pereira Lucas, Olívia Morais de Medeiros Neta

Abstract


This work is part of the field of the history of professional education and aims to analyze the expansion of Professional Education in Brazil, from 1909 to 1930, based on the actions of the Ministry of Agriculture, Industry and Commerce. The time frame was selected taking into account the organization of the Ministry. The main sources for the development of this study were the annual reports of the Ministry of Agriculture, Industry and Trade. Based on the mapping and analysis of the sources, we seek to analyze the following questions: How did the Ministry operate the expansion of professional education? How were professional schools distributed throughout Brazil? What kind of schools were created most often? What type of school was most common in each region? To answer these questions, we conducted bibliographic research, categorization and analysis of the sources. The methodology consists of documentary analysis according to Arostegui (2006) and the indicative method according to Ginzburg (1989). The theoretical framework is based on the concept of professional education by Manfredi (2003) and is inserted in the dimension of political history according to Rémond (2003). Through the analysis of the sources we can see that the ministry created and also subsidized agricultural, industrial and commercial schools, with agricultural schools being more common.

References


Arostegui, J. (2006). A pesquisa histórica: teoria e método. Santa Catarina: Edusc.

Berstein, S. (1998). A cultura política. In Para uma História cultural (pp. 349-363). Lisboa: Editorial Estampa

Ciavatta, M. (2019) Trabalho-Educação: uma unidade epistemológica, histórica e educacional. Revista Trabalho Necessário, v. 17, n. 32, (pp. 132-149).

Cunha, L. A. C. R. (2000). O ensino de ofícios nos primórdios da industrialização. São Paulo: Unesp. v.2.

Decreto nº 1.606, de 29 de dezembro de 1906. Cria uma Secretaria de Estado com a denominação de Ministério dos Negócios da Agricultura, Industria e Comércio. Diário Oficial da União.

Decreto nº 12.012, de 29 de março de 1916. Transfere as sedes da Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária Escola Média ou Teórico-prática da Bahia e reúne em um só os dois mencionados estabelecimentos de ensino e a Escola de Agricultura anexa ao Posto Zootécnico Federal de Pinheiro, com a denominação de Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária. Diário Oficial da União.

Decreto nº 12.927, de 20 de março de 1918. Dá novo regulamento à Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária. Diário Oficial da União.

Decreto nº 14.120, de 29 de março de 1920. Dá novo regulamento à Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária. Diário Oficial da União.

Decreto nº 17.329, de 28 de maio de 1926. Aprova, o regulamento para os estabelecimentos de ensino técnico comercial reconhecidos oficialmente pelo Governo Federal. Diário Oficial da União.

Decreto nº 19.448, de 3 de dezembro de 1930. Dá nova denominação ao Ministério da Agricultura, Industria e Comércio; estabelece normas para o funcionamento dos serviços sob sua jurisdição até que sejam remodelados os regulamentos atuais, e adota medidas tendentes à simplificação dos serviços burocráticos nesse ministério. Diário Oficial da União.

Decreto nº 6.026, de 6 de novembro de 1875. Cria uma Escola de minas na Província de Minas Gerais, e dá-lhe Regulamento. Diário Oficial da União.

Decreto nº 7.501, de 12 de agosto de 1909. Dispõe sobre as medidas provisórias para a instalação do Ministério da Agricultura, Industria e Comércio. Diário Oficial da União.

Decreto nº 7.566, de 23 de setembro de 1909. Cria nas capitais dos Estados da Republica Escolas de Aprendizes Artífices, para o ensino profissional primário e gratuito. Diário Oficial da União.

Decreto nº 8.319, de 20 de outubro de 1910. Cria o Ensino Agronômico e aprova o respectivo regulamento. Diário Oficial da União.

Ginzburg, C. (1989). Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras.

Manfredi, S. M. (2003). Educação profissional no Brasil. São Paulo: Cortez.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1910). Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Rodolpho Nogueira da Rocha Miranda no ano de 1910. Vol. I. Rio de Janeiro: Officinas da Directoria Geral de Estatistica.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1911). Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio Dr. Pedro de Toledo no anno de 1911. Vol. I. Rio de Janeiro: Officinas da Directoria Geral de Estatistica.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1912). Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Dr. Pedro de Toledo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio no anno de 1912. Vol. I. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1913). Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Dr. Manoel Edwiges de Queiroz Vieira Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio no anno de 1913. Rio de Janeiro: Typographia do Ministerio da Agricultura, Industria e Commercio.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1914). Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Dr. Manoel Edwiges de Queiroz Vieira Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio no anno de 1914. Vol. I. Rio de Janeiro: Typographia do Ministerio da Agricultura, Industria e Commercio.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1915). Relatório apresentado ao presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio, Dr. José Rufino Beserra Cavalcanti. Anno de 1915. Rio de Janeiro: Typographia da Directoria geral de Estatistica.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1918). Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Dr. João Gonçalves Pereira Lima. Anno de 1918. Rio de Janeiro: Typographia da Directoria Geral de Estatistica.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1920). Relatorio apresentado ao Presidente da Republica pelo Ministro de Estado dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio Idelfonso Simões Lopes, Anno 1920. Rio de Janeiro: Papelaria e Typographia Villas-Boas & C.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1921). Relatorio apresentado ao Presidente da Republica pelo Ministro de Estado dos Negocios da Agricultura, Industria e Commercio Idelfonso Simões Lopes. Rio de Janeiro: Papelaria e Typographia Villas-Boas & C.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1926). Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Germiniano Lyra Castro. Anno de 1926. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional. 1928.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1927). Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Germiniano Lyra Castro. Anno de 1927. Rio de Janeiro: Typ. do Serviço de Informações do Ministerio da Agricultura.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1929). Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Germiniano Lyra Castro. Anno de 1928. Rio de Janeiro: Typ. do Serviço de Informações do Ministerio da Agricultura.

Ministério da Agricultura, Indústria e Comércio (1930). Relatorio apresentado ao Presidente da Republica dos Estados Unidos do Brasil pelo Ministro de Estado da Agricultura, Industria e Commercio Germiniano Lyra Castro. Anno de 1929. Rio de Janeiro: Typ. do Serviço de Informações do Ministerio da Agricultura.

Nery, M. A. A. M. (2009). Aprendizados e patronatos: um cotejo entre dois modelos de ensino agrícola das primeiras décadas do século XX (1911-1934). Revista Tempos e Espaços em Educação, 2(2) (pp.25-32).

Oliveira, M. R. P. (2004). Civilizar e modernizar: o ensino agrícola no Brasil republicano (1889-1930). History of Education Journal, 8 (15) (pp. 129-142).

Otranto, C. R. (2003) A política de Educação Superior Agronômica no início do século XX: a criação da Escola Superior de Agricultura e Medicina Veterinária. In Anais, 26 Reunião da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, 2003...]. Poços de Caldas: ANPEd.

Prado Júnior, C. (2006). História econômica do Brasil. São Paulo: Brasiliense.

Ragazzini, D. (2001). Para quem e o que testemunham as fontes da história da educação? Educar em revista, (18), (pp. 13-27).

Rémond, R. (2003). Por uma História Política. Tradução: Dora Rocha. Rio de Janeiro: FGV.

Soares, M. J. A. (1982). As escolas de aprendizes artífices-estrutura e evolução. In Anais, Fórum educacional (pp. 58-92).

Vasques, B. F. (2016). A divisão regional do Brasil: limites, propósitos e resultados a partir do Estudo da Dimensão Territorial do Planejamento – Regiões de Referência. 74 f. (Trabalho de Conclusão de Graduação, Bacharelado e Licenciatura em Geografia), Universidade de São Paulo, São Paulo.




DOI: https://doi.org/10.14571/brajets.v14.n3.360-374

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ