EVALUATING THE EXPERIENCE OF BEING UNEMPLOYED: A REFLECTION ON ITS POSITIVE AND NEGATIVE ASPECTS

Joyce Aguiar, Vinício Abreu, Marisa Matias, Anne Marie Fontaine

Abstract


This study aims to investigate the phenomenon of unemployment from a biographical-subjective perspective. We used a survey in which the participants (n = 151) had to list positive and negative aspects about the experience of being unemployed. The software NVivo was used to organize data, and the methodology applied was the content analysis, based on a frequency analysis of each thematic category. All participants reported negative aspects and 122 mentioned at least a positive one. A total of 13 categories were analyzed. Financial problems and having more time were the categories the most mentioned. The complexity of the unemployment experience presented in this investigation may enable new researches, generating a positive impact to the development of social technologies to support people and families in unemployment situation.

References


AMATO, P. R.; BEATTIE, B. Does the unemployment rate affect the divorce rate? An analysis of state data 1960–2005. Social Science Research, v. 40, p. 705–715, 2011. doi:10.1016/j.ssresearch.2010. 12.012

ANTUNES, R. Século XXI: A nova era da precarização estrutural do trabalho. In: Dal Rosso; FORTES, J. A. A. S. (Ed.). Condições de trabalho no limiar do século XXI. Brasília: Épocca, 2008.

ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a afirmação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 2007.

ARÉVALO-PACHÓN, G. Tendencias en la investigación psicológica sobre desempleo y salud. Revista Iberoamericana de Psicología: Ciencia y Tecnología, v.5(2), p. 17-30, 2012. Disponível em: . Acesso em: 12 Out. 2016.

ASFORA, S. C.; DIAS, M. R. C. Modelo de qualidade de vida no trabalho para a polícia militar de Pernambuco. Revista Eletrônica de Administração, v. 12, p. 1 – 26, 2006. Disponível em: . Acesso em: 07 Mai. 2016

BARDIN, L. Análise de conteúdo (4ª ed.). Lisboa: Edições 70, 2011.

AQUINO, C. A. B., et al. Terceirização e saúde do trabalhador: Uma revisão da literatura nacional. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 16(2), p. 130-142, 2016. doi: 10.17652/rpot/ 2016.2.660

BORGES, L. O.; TAMAYO, A. A estrutura cognitiva do significado do trabalho. Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 1(2), 11–44, 2001. ISSN 1984-6657. Disponível em: . Acesso em: 07 Mai. 2016

CALDAS, M. Demissão: Causas, efeitos e alternativas para empresa e indivíduo. São Paulo: Atlas, 2000.

CASTEL, R. As metamorfoses da questão social: Uma crônica do salário. Petrópolis: Vozes, 1998.

DEJOURS, C. A loucura do trabalho: Estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo: Cortez, 1992.

EZZY, D. Unemployment and mental health: a critical review. Social Science and Medicine, v. 37, p. 41–52, 1993. Disponível em: < https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/8332923>. Acesso em: 07 Mai. 2016

FRANKL, V. Um sentido para a vida. Aparecida: Editora Santuário, 1989.

FRYER, D. Employment deprivation and personal agency during unemployment: A critical discussion of Jahoda’s explanation of the psychological effects of unemployment. Social Behaviour, v. 1(1), p. 3-23, 1986. Disponível em: < http://psycnet.apa.org/psycinfo/1989-24290-001>. Acesso em: 12 Out. 2016

GENNARI, A.; ALBUQUERQUE, C. Globalização e reconfigurações do mercado de trabalho em Portugal e no Brasil. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 27(79), p. 65-79, 2012. doi: 10.1590/S0102-69092012000200005

GUERRA, L. L. L. et al. Habilidades de conversação e desenvoltura em entrevista de emprego: Aplicação de um programa de ensino baseado na análise do comportamento. Trilhas Pedagógicas, v. 6(6), p. 288-305, 2016. Disponível em: . Acesso em: 12 Out. 2016.

HARVEY, D. Condição pós-moderna: Uma pesquisa sobre a origem das mudanças culturais. São Paulo: Loyola, 2010.

HEIDEGGER, M. Ser e tempo. Petrópolis: Vozes, 1995.

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATÍSTICA. Anuário Estatístico de Portugal. Portugal, 2016. Disponível em: . Acesso em: 07 Mai. 2016.

JAHODA, M. Economic recession and mental health: Some conceptual issues. Journal of Social Issues, v. 44, p. 13–23, 1988. doi: 10.1111/j.1540-4560.1988.tb02089.x

JENSEN, P.; SMITH, N. Unemployment and marital dissolution. Journal of Population Economics, v. 3, p. 215–229, 1990. doi: 10.1007/BF00163076

JOLLEY, G. et al. Positive and negative impacts of job loss on family life: the perceptions of Australian car workers. Australian Journal of Social Issues, v. 46(4), p. 411– 433, 2011.

KEYNES, J. M. The general theory of employment. In: The quarterly journal of economics, p. 209-223, 1937.

KINNUNEN, U.; FELT, T. Economic stress and marital adjustment among couples: Analyses at the dyadic level. European Journal of Social Psychology, v. 34, p. 519–531, 2004. doi:10.1002/-ejsp.213

KIPPEN, R et al. What’s love got to do with it? Homogamy and dyadic approaches to understanding marital instability. Journal of Population Research, v. 30, p. 213–247, 2013. doi: 10.1007/s12546-013-9108-

KUBO, S. H.; GOUVÊA, M. A. Análise de fatores associados ao significado do trabalho. Revista de Administração, v. 47(4), p. 540-554, 2012. doi: 10.5700/rausp1057

LACAZ, F. A. C. O campo saúde do trabalhador: Resgatando conhecimentos e práticas sobre as relações trabalho-saúde. Cadernos de Saúde Pública, v. 23(4), p. 757-766, 2007. doi: 10.1590/S0102-311X2007000400003.

LIMA, A. V. Q.; GOMES, M. W. F. "Estou formado(a), e agora?": Uma análise sobre o sofrimento psíquico de desempregados recém-formados em instituições de nível superior em São Luís-MA. Cadernos de Pesquisa, v. 17(3), p. 37-46, 2010. Disponível em: http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/cadernosdepesquisa/article/view/280/201. Acesso em: 07. Mai. 2016

LIMA, P. G. C.; AMADO, A. M.; MOLLO, M. L. R. Fundamentos macroeconômicos nas perspectivas de Marx e Keynes: Contribuições para a heterodoxia. Revista de Economia Política, v. 36(3), p. 603-621, 2016. doi: 10.1590/0101-31572015v36n03a08

LEON, L. M.; IGUTI, A. M. Saúde em tempos de desemprego. In: GUIMARÃES, L. A. M.; GRUBITS, S. (Ed.). Série Saúde Mental e Trabalho. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2003.

MARX, K. O Capital: Crítica da Economia Política I – Livro I (6ª ed.). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

MATTOS, F. A. M.; LIMA, S. S. Apontamentos para o debate sobre o pleno emprego no Brasil. Economia e Sociedade, v. 24(2), p. 293-328, 2015. doi: 10.1590/1982-3533.2015v24n2art3

MENDOLIA, S. The impact of husband's job loss on partners' mental health. Review of Economics of the Household, v. 12, p. 277–294, 2014. doi: 10.1007/s11150-012-9149-6

MITCHELL, J.; KRISTOVICS, A. Death of an airline: The well being of retrenched Ansett staff three years on. International Journal of Employment Studies, v. 13(2), p. 89–118, 2005. Disponível em: < http://handle.uws.edu.au:8081/1959.7/10141>. Acesso em: 07.Mai.2016

NEWMAN, L.; MACDOUGALL, C.; BAUM, F. Australian children’s accounts of the closure of a car factory: Global restructuring and local impacts. Community, Work & Family, v. 12(2), p. 143–158, 2009. doi: 10.1080/13668800902778934

OLIVEIRA, J. N. de; MENDES, A. M. Sofrimento psíquico e estratégias defensivas utilizadas por desempregados: Contribuições da psicodinâmica do trabalho. Temas em Psicologia, v. 22(2), p. 389-399, 2014. doi: 10.9788/TP2014.2-10

ORGANISTA, J. H. C. O debate sobre a centralidade do trabalho. São Paulo: Expressão Popular, 2006.

PINHEIRO, L. R. S.; MONTEIRO, J. K. Refletindo sobre desemprego e agravos à saúde mental. Cadernos de Psicologia Social do Trabalho, v. 10(2), p. 35–45, 2007. Disponível em: < http://pepsic.bvsalud.org/pdf/cpst/v10n2/v10n2a04.pdf>. Acesso em 21.Abr.2016

PREVITALI, F. S.; FAGIANI, C. C. Organização e controle do trabalho no capitalismo contemporâneo: a relevância de Braverman. Cadernos EBAPE.BR, v. 12(4), p. 756-769, 2014. doi: 10.1590/1679-395115088

RIBEIRO, M. A. Estratégias micropolíticas para lidar com o desemprego: Contribuições da Psicologia Social do Trabalho. Psicologia Política, v. 9(18), p. 331–346, 2010. Disponível em: . Acesso em: 21 Abr. 2016.

ROGERS, C.; ROSENBERG, R. L. A pessoa como centro. São Paulo, Brasil: Edusp, 1977.

SOBRAL, J. M.; GONÇALVES, C. M.; COIMBRA, J. L. A influência da situação profissional parental no desenvolvimento vocacional dos adolescentes. Revista Brasileira de Orientação Profissional, v. 10(1), p. 11-22, 2009. Disponível em . Acesso em: 07 Mai. 2016.

SOUZA JÚNIOR, H. P. Centralidade ontológica do trabalho ou centralidade da informação e do conhecimento nos processos de formação humana? Pro-Posições, v. 19(2), p. 163-179, 2016. doi: 10.1590/S0103-73072008000200012

TAY, L.; DIENER, E. Needs and subjective well-being around the world. Journal of Personality and Social Psychology, v. 101(2), p. 354–365, 2011. doi: 10.1037/a0023779

WESTMAN, M.; ETZION, D.; HOROVITZ, S. The toll of unemployment does not stop with the unemployed. Human Relations, v. 57(7), p. 823–844, 2004. doi:10.1177/0018726704045767

ZHANG, H.; FAN, S.; YIP, P. Marital satisfaction trends in Hong Kong between 2002 and 2012. Journal of Sex & Marital Therapy, v. 41(4), p. 1–10, 2015. doi: 10.1080/0092623X.2015.1053021




DOI: https://doi.org/10.14571/cets.v10.n1.28-39



Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ