INTERDISCIPLINARY PERSPECTIVE OF EXPERIMENTATION: STUDENTS PERCEPTIONS FROM CONTEXTUALIZED EXPERIMENTATION

Anelise Grunfeld de Luca, Sandra Aparecida dos Santos, Michelle Camara Pizzato, José Claudio Del-Pino

Abstract


This work presents the perceptions about the interdisciplinarity, from the students who carried out contextualized experiments in an interdisciplinary perspective. Sixty-one students were from final elementary school and 52 students from high school, from two schools in SC, during the years 2012 and 2013. They carried out experiments proposed by the teachers in the Science, Chemistry and Biology classes, in order to work the conceptual contents of these subjects. After the experiments, the students answered a structured ten open questions questionnaire, focusing, for this work, on questions 3 and 6. The results displayed that the majority of students observed Chemistry and Biology in an interdisciplinary perspective, from the experiments performed.

References


André, M. E. D. A. de (2008). Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. (3 ed.). Brasília: Líber Licro Editora.

Brasil (2013). Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Ministério da Educação. Diretoria de Currículos e Educação Integral. Brasília: MEC, SEB, DICEI.

______ (1999). Parâmetros Curriculares Nacionais do Ensino Médio. Brasília: MEC; SEMTEC.

Candau, V. M. (Org.) (2012). Reinventar a escola. (8.ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Follari, R. A. (2011). Algumas considerações práticas sobre interdisciplinaridade. In: Jantsch, A. P. Bianchetti, L. (orgs). Interdisciplinaridade: para além da filosofia do sujeito (Cap.5, pp.107 – 121). (9 ed.). Petrópolis, RJ: Vozes.

Fracalanza, H.; Amaral, I. A. do & Gouveia, M. S. F. (1986). O ensino de Ciências no primeiro grau. São Paulo: Atual.

Furlanetto, E. C. (2014) Interdisciplinaridade: uma epistemologia de fronteiras. In: Rosito–Berkenbrock, M. M. (Org). Interdisciplinaridade e transdisciplinaridade: políticas e práticas de formação de professores (Cap. 2, pp. 57-74). Rio de Janeiro: Wak Editora.

Gonçalves, H. J. L., Pires, C. M. C. & Peralta, D. A. (2015). Epistemologia, interdisciplinaridade e ensino de Matemática. In Goes, J. (org.), Epistemologias e processos formativos em ciências e matemática. Jundiaí: Paco Editorial.

Kato, D. S., & Kawasaki, C. S. (2011). As concepções de contextualização do ensino em documentos curriculares oficiais e de professores de ciências. Ciência & Educação, 17(1), 35-50.

Lopes, A. C. (2008). Políticas de Integração Curricular. Rio de Janeiro: EDUERJ.

Luca, A. G. de; Santos, S. A. dos. (2010). Dialogando Ciências entre sabores, odores e aromas: contextualizando os alimentos química e biologicamente. São Paulo: Editora Livraria da Física.

Lüdke, M., & André, M. E. D. A. (1986). Pesquisa em Educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

Lufti, M. (1988). Cotidiano e Educação em química: os aditivos em alimentos como proposta para o ensino de química no 2º grau. Ijuí: Unijuí.

______ (1992). Ferrados e cromados: produção social e apropriação privada do conhecimento químico. Ijuí: Unijuí.

Meirinhos, M., Osório, A. (2010). O estudo de caso como estratégia de investigação em educação. Revista de Educação EDUSER, 2(2).

Moraes, R., Galiazzi, M. do C. (2011). Análise Textual Discursiva. (2a ed.). Ijuí: Ed. Unijuí.

Morin, E. (2000). Os sete saberes necessários a educação do futuro. (2a ed.). São Paulo: Cortez, Brasília: UNESCO.

Santomé, J. T. (1998). Globalização e interdisciplinaridade: o currículo integrado. Porto Alegre: Editora Artes Médicas Sul Ltda.

Thiesen, J. da S. (2008, set/dez). A interdisciplinaridade como um movimento articulador no processo ensino-aprendizagem. Revista Brasileira de Educação, 13(39), 545-598.

Wartha, E. J.; Silva, & E. L. da; Bejarano, N. R. R. (2013). Cotidiano e Contextualização no Ensino de Química. Química Nova na Escola, 2, 84-91.

Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso: planejamento e métodos. 5.ed. Porto Alegre: Bookman.

Zanon, L. B. (2008). Tendências Curriculares no Ensino de Ciências/Química: um olhar para a contextualização e a interdisciplinaridade como princípios de formação escolar. In: Rosa, M. I. P.; Rossi, A. V. Educação química no Brasil: memórias, políticas e tendências (Cap. 11, pp. 235 – 262). Campinas, SP: Editora Átomo.

Zucolotto, A. M. et al. (2004). Do nome das coisas á disciplina dos termos: O que sabemos? Integração, 10 (39), 321 – 332.




DOI: https://doi.org/10.14571/brajets.v13.n2.155-163

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

Licensed under :

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 Unported License.

----------------------------------------------------------------------

Indexing, Scientific Societies and Directories

Logo CAPES Logo periodicos.CAPES Logo Google Scholar

Logo GIF Logo Latindex Logo BASE Logo PKP

Logo DIADORIM Logo IBICT Logo SIS

Logo Gaudeamus Logo ROAD Logo DOAJ